Vamos lá, gente, vamos conversar sobre a camiseta da união. Precisamos falar sobre ela.

Está rodando pelas redes sociais uma foto da camiseta da união, e esta foto está fazendo um sucesso, com uma quantidade gigante de pessoas achando que aquilo é a última invenção fantástica para resolver tretas entre irmãos.

Essa pode ser uma ideia nova, mas não é. Volta e meia, aparecem fotos desse tipo por aí. Fora do Brasil, por exemplo, essas camisetas são conhecidas como get along shirts e são todas desse mesmo jeito: uma camiseta larga que obriga os irmãos a ficarem juntos, na mesma camisa. Normalmente, existem regras para que os irmãos deixem de usar a camiseta, como:

  • pedir desculpas
  • dar abraço um no outro
  • falar “eu te amo”

Vamos fazer aquele exercício de sempre e usar a empatia. Tente se colocar na situação de uma criança e imagine que você teve uma briga horrível com seu irmão. Você até fez coisas que não deveria, e sabe disso, como bater no irmão, mas foi no momento da raiva e, naquele momento, você realmente odeia seu irmão.

E, então, chega alguém, seu pai ou mãe, e lembra a você que ele tem muito poder e controle sobre você, a ponto de vestir uma camisa humilhante em você e no seu irmão, contra a sua vontade. Além disso, obriga você a pedir desculpas, abraçar seu irmão e dizer que o ama, mesmo que nada daquilo seja verdadeiro para você, naquela hora.

Ah, e tem mais uma coisa: tira uma foto de vocês e posta na internet para todo mundo ver.

Agora, pense no que você estaria sentindo e pensando neste momento? Se você brigou com seu irmão, é porque ele é a última pessoa que você quer ter por perto naquela hora, mas não importa. O que você sente não importa. Você tem que amar seu irmão durante todos os minutos da sua vida. Todos.

Eu, que tenho irmão, sei bem disso. Já ouvi muito que eu nunca posso odiar meu irmão, porque tenho que amá-lo sempre. Afinal de contas, somos do mesmo sangue. Essa é a regra: nunca odeie seu irmão. E sabe o que isso vira? Rancor.

Isso mesmo, rancor. Todas as vezes que você sente raiva do seu irmão e não consegue colocar isso para fora, por medo de ser repreendido, bem, tudo isso vai se somando e virando rancor. Por que é tão difícil assim acolher os sentimentos negativos de irmãos que não querem estar próximos em um determinado momento? Por que pensamos que obrigá-los a estar juntos, quando não querem, resolve um problema? Por que forçá-los a dizer que se amam, quando claramente não estão se amando, fará com que eles se amem genuinamente?

Pois é, eu também não consigo entender.

E então, imagine se isso é realmente comprovado como uma ideia fantástica e passam a utilizar como um método de resolução de conflitos. Se um casal briga, vem um amigo e coloca o casal dentro da camiseta da união. Teve briga na balada, daí vem o segurança e coloca os dois valentões dentro da camiseta. Dois funcionários discutem energicamente em uma reunião de trabalho, daí vem o gerente e coloca eles na camiseta.

Funciona? Não, né?

— Ah, mas é fácil criticar. Como é então que eu vou resolver as tretas dos meus filhos?

Treta entre irmãos é algo realmente desesperador, eu sei, mas existe um olhar diferente para isso: o olhar da disciplina positiva. Parte da solução desse problema está em aceitar que os irmãos são indivíduos diferentes entre sim, com sentimentos que, às vezes, serão negativos. E, como estamos aqui falando em acolher sentimentos, por que não acolher os negativos? É difícil? Com certeza, mas esse é o caminho mesmo.

Se você quiser, dê uma olhadinha nesse vídeo aqui que eu fiz, para entender um pouco mais sobre como podemos usar a disciplina positiva para ajudar irmãos a se relacionarem de uma maneira respeitosa.