fbpx

Como dar conta de tudo?

"Como atender às demandas dos filhos, do trabalho, da casa, do relacionamento, da saúde e ainda ter algum momento de lazer? "
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Já quero deixar claro que Eu não dou conta de tudo. Ou deixo tudo pela metade ou termino de qualquer jeito.

Conhece a síndrome do cobertor curto? Enquanto eu me dedico a uma demanda, eu deixo de atender outras três. E está tudo bem. 

Eu aceito a minha humanidade e a minha limitação nesse sentido.

E por que existe essa cobrança sobre dar conta?

A nossa sociedade cobra produtividade não só no trabalho mas na vida pessoal, inclusive no cuidado e atenção com os filhos. Tem uma lista infinita de demandas que devem ser cumpridas.

A casa deve estar sempre limpa e arrumada, temos que dar atenção de qualidade para os filhos, fazer atividades estimulantes, brinquedos reciclados e sentarmos todos à mesa para uma refeição saudável com 5 cores no prato.

Não podemos esquecer de tirar um tempinho com o parceiro(a), de estar atualizado das notícias, fazer exercícios, estar com as séries em dia e dormir 8 horas por noite.

Impossível cumprir essa lista sem uma equipe enorme pra ajudar, não é mesmo? Então o que podemos fazer?

  • Sair do automático

Olhe para a sua lista infinita de coisas a fazer e entenda o que faz sentido pra você.

Muitas vezes nos cobramos sem nem perceber que aquilo não é tão importante assim ou que fazemos apenas porque fomos ensinados que deveria ser feito sem nunca pensar a respeito.

  • Alinhar as expectativas

Da sua lista do que é importante, tente estabelecer uma rotina humanamente possível dentro da sua realidade. Algumas coisas simplesmente não são possíveis ou exigem um esforço enorme que não estamos dispostos a fazer.

  • Estabelecer as prioridades

Muitas vezes vamos precisar escolher o que é mais importante e deixar o que não é pra depois. Aqui por exemplo, geralmente dar atenção para as crianças é mais importante que arrumar a bagunça, mas pode ter um dia que vamos precisar arrumar tudo e precisar que eles se distraiam com algo. E está tudo bem.

  • Pedir ajuda

Lembra da frase que diz “É preciso uma aldeia para se educar uma criança”? Então, busque ajuda na sua rede de apoio. Seja com os cuidados com a casa, ajuda com a alimentação e até para ter um tempo sem filhos. Um dia da semana para ficar com os avós ou tios. Se não tiver família por perto, combine com os vizinhos ou amigos de se apoiarem e crie a sua própria aldeia.

Ah, é sempre importante lembrar que pai não é rede de apoio. Pai é cuidador e tem sua função para exercer.

Se você se preocupa em dar conta de tudo e se sente culpado por não conseguir, provavelmente é porque você já está dando o seu melhor.

Espero que esse post acalme seu coração e te ajude a aceitar que não é sobre você, não é sobre não se dedicar o suficiente. É sobre ser humano numa sociedade que acha que vale ser produtivo a qualquer custo.

Com Carinho,

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz

Pai de quatro, escritor, educador parental, criador do site e canal no YouTube Paizinho Vírgula!, host dos podcasts Tricô de Pais e Vai Passar, autor dos livros "Abrace seu Filho" e "A Armadura de Bertô", e participou do documentário internacional "Dads".

Newsletter

Não perca o melhor do Paizinho no seu email. De graça

Veja esses conteúdos também!

Pais Maternos? | Paizinho, Vírgula!

Pais maternos existem ou só são pais exercendo o seu papel? É tentador criar novas denominações para os pais que exercem a sua paternidade ativamente mas será que não estamos criando uma distorção de papéis? Falamos sobre isso e também sobre os possíveis impactos na relação entre o casal. 5 Dicas para o Home office

Leia mais »

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

QUER MAIS CONTEÚDO?

assine agora e receba o melhor sobre relacionamentos e infância, de graça!