fbpx

Paizinho Indica:

Mansions of Madness

Galápagos Jogos

+ 14 anos (editora)

+ 14 anos (minha opinião)

120 minutos

1-5 JOGADORES

Cooperativo

+ 14 anos

120 minutos

1-5 jogadores

Cooperativo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Gostou?

Compre o jogo de uma loja parceira! É rápido, seguro e você ainda apoia o meu trabalho!

Finalmente jogamos Mansions of Madness! Esse é um jogo que a gente adorou, porque tem uma pegada muito de RPG e o app (gratuito) ajuda a dar um nível ainda maior de imersão. Sem contar que ele funciona como um mestre da aventura.

A gente resolveu jogar com as crianças por perto (Maya tava cochilando) e eles adoraram acompanhar e dar pitacos. 

O jogo ainda é para os maiores mesmo, mas os pequenos curtem observar.

A qualidade dos componentes, dos cenários, é tudo impressionante. A gente amou!

Ah, e a gente perdeu nessa primeira missão. Quer dizer, apesar do jogo ser cooperativo, quem ganhou foi a Anne 😅

Acontece que nesse jogo, quando você já viu tantos horrores do mundo de Lovecraft, você fica insano. E quando isso acontece, você ganha uma condição especial que altera o jogo daquele jogador específico, que não pode contar o que é. No caso da Anne, só ganharia o jogo se a investigação falhasse e foi isso que ela fez, me largou sozinho tentando matar os bichos até que a investigação falhou 😂

Jogaço, super recomendamos!

PS: outra coisa que eu amei foram os puzzles no meio da partida, que você precisava resolver pelo aplicativo. Os meninos ajudaram a Anne nessa parte e eu achei o máximo, porque isso é total a cara desses jogos de terror de videogame que eu jogava, tipo Resident Evil.

Veja esses jogos também!

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz

Pai de quatro, escritor, educador parental, criador do site e canal no YouTube Paizinho Vírgula!, host dos podcasts Tricô de Pais e Vai Passar, autor dos livros "Abrace seu Filho" e "A Armadura de Bertô", e participou do documentário internacional "Dads".

QUER MAIS CONTEÚDO?

assine agora e receba o melhor sobre relacionamentos e infância, de graça!