Meu filho caiu e quebrou o dente. O que fazer?

"Um manual de bolso, prático e didático sobre o que fazer na hora que o nosso filho cai e quebra um dente. Agir rápido é crucial, mas manter a calma é vital!"
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Celular toca no meio da tarde, no visor o número da escolinha.

Os pensamentos se organizam em check-list: febre, dor de barriga, vômito, caiu e se machucou…

Caiu, se machucou e quebrou o dente da frente.

Na educação física. Bateu na testa do amigo e viu o dente da frente inteiro no chão.

Embora a professora tente descrever a situação, você desobedece seu último comando: mãe, fique calma, ele está bem, só perdeu um dente.

Traumatismo é o nome que se dá para a quebra de alguma estrutura da boca, seja ela no osso, dente, raiz, corte de gengiva, lábio…

Predomina em crianças na faixa etária de 8 a 13 anos, mais prevalente em meninos e bem comum no verão, mais especificamente férias escolares (mais piscina, mais bicicleta, mais puladas de muro…).

O trauma dentário é bem comum de acontecer por quedas e colisões acidentais, maus-tratos, práticas esportivas, estresses entre outros fatores de menor ocorrência.

Bebês que estão na fase de exploração de ambientes e aprendendo a caminhar também são fáceis alvos de traumas na boca.

A primeira medida a ser tomada quando ocorre um trauma é MANTER A CALMA do adulto que está em contato com a criança. Normalmente, professores de educação infantil e educadores físicos.

Quando a criança cai a tendência é bater nariz e boca ao mesmo tempo, e provocar um sangramento que muitas vezes não conseguem distinguir a origem.

Lavar bem a região com soro fisiológico e estancar o sangramento é a orientação até chegar o socorro, ou os pais.

Caso a criança apresente sintomas de urgência médica, tais como: dor de cabeça, náusea, confusão mental e vômito (sintomas de traumatismo craniano) ou sangramento de orelha, dor abdominal, dificuldade para respirar…esqueçam os dentes! A gente restaura tudo depois… corre para o médico.

Mas vamos colocar uma cena que foi descartada a urgência médica.

Criança caiu, quebrou o dente e passa bem.

A sequência dos passos vai depender de como o dente quebrou, por isso vamos dividir didaticamente:

  1. Criança caiu, dente ficou amolecido mas não saiu do lugar: não tem necessidade de consulta IMEDIATA ao dentista. Dente com mobilidade pode precisar de uma contenção ou pode voltar ao normal sozinho. Procure o dentista quando possível, para avaliarmos o tipo de mobilidade, e se há necessidade de uma radiografia. Não mexa no dente para ver se ´firmou´. Faça higienização local com uma gaze e prefira alimentação pastosa no primeiro dia. O dente pode ficar escuro com o passar do tempo. O dentista saberá indicar o melhor tratamento, que pode variar de clareamento (dependendo dente e idade), tratamento de canal, se o nervo foi atingido, ou até mesmo nenhum procedimento, apenas acompanhar.

 

  1. Criança caiu, dente ficou mole e saiu de posição: (foi para dentro, está mais curto que os outros, deslocou para o lado…):

Corre para o dentista. É preciso reposicionar na primeira hora. Se é dente de leite, provavelmente a indicação é extração. Se já é permanente então é preciso colocar o dente no lugar, imobilizar com uma contenção e acompanhar. Alguns casos podem precisar de antibiótico. Outros de tratamento de canal. Mas o mais importante é chegar no dentista logo que o acidente aconteceu.

 

  1. Criança caiu e um pedaço do dente caiu no chão:

Chamamos de fratura de coroa. O fragmento pode ser colado de volta, e seria o ideal, mas também se não achar o fragmento ou ele não servir, os materiais restauradores atualmente são esteticamente eficazes. O objetivo aqui é cuidar se o trauma expôs o nervo ou foi muito perto dele, precisando talvez de uma proteção pulpar ou até tratamento de canal. Se conseguir uma consulta imediata, ótimo. Pegue o fragmento de dente, armazene no leite gelado e siga para o dentista. Caso não seja possível e a criança não esteja com dor, tudo bem. A consulta pode esperar.

 

  1. Criança caiu e o dente saiu com raiz e tudo para fora da boca:

É o caso mais grave que pode acontecer. Se é em dente de leite a conduta é de não colocar o dente de volta, apenas manter o espaço do dente perdido e acompanhar.

Quando é dente permanente, tem a possibilidade de REIMPLANTAR o dente, ou seja, colocar de volta. Por isso, o padrão-ouro de tempo fora da boca é de 30 minutos. Quanto mais tempo demorar para ir ao dentista, a chance de sucesso decai, embora tenham casos de sucesso em reimplantes tardios (até 2h depois).

Armazenar o dente de forma correta também influencia no sucesso. Precisamos de um meio de equilíbrio iônico com as células do dente, e uma temperatura baixa, para reduzir a o metabolismo celular e aumentar a viabilidade de reimplante.

Ou seja, o melhor lugar para deixar o dente que caiu é no LEITE GELADO. Nunca lavar com água corrente ou tentar tirar a sujeira que ficou no dente. Deixe para o dentista tratar a peça.

Depois de reimplantar, radiografar e colocar uma imobilização nos dentes, é preciso tomar vacina antitetânica, antibiótico e realizar tratamento de canal, além de acompanhar mensalmente, no mínimo por 6 meses.

Muitos traumas causam lesões em lábio, que precisam ser suturadas. O local pode ficar inchado e roxo, por isso é importante seguir as recomendações de alimentação e higienização.

Manter a calma dos pais e da criança, com certeza é a tarefa mais difícil do dentista. Os dentes têm tratamento, se possível imediato, ou tardio. A gente sempre encontra a melhor maneira de restabelecer dente quebrado, pode demorar meses, ser um pouco dolorido, mas tem solução.

O que ainda não conseguiram encontrar foi uma maneira de tranquilizar os pensamentos dos pais quando o telefone toca no meio da tarde.

Newsletter

Não perca o melhor do Paizinho no seu email.

Veja esses textos também!

Grávida no dentista

Spoiler: grávida pode (e deve) ir ao dentista, além de realizar um pré-natal odontológico, ao longo dos nove meses. A saúde da mamãe e do bebê agradece!

E se cárie fosse letal…

É preciso entender a cárie como uma doença! Só assim, conseguiremos entender suas causas, sintomas e tratamento para, enfim erradicarmos essa doença.

FLÚOR IS THE NEW OVO

Ele tirou a capa de vilão e mostrou sua importância na saúde. De bebês a adultos, todos precisam. Como o flúor pode salvar o mundo das cáries?

Comentários

  • Vanessa disse:

    Não imaginava que o tempo seria tão curto para o sucesso do reimplante! Realmente manter a calma é vital!

  • Laura disse:

    Adorei!!!

  • Karoene Denardi Vanzela

    Karoene Denardi Vanzela

    Cirurgiã-dentista, com ênfase em Odontopediatria e atendimento para pacientes com necessidades especiais. Especialista e mestranda em tratamento de canal. Mãe da Isadora, da Gabriela e aprendiz em conciliar a teoria com a prática! Instagram: @karoene
    >

    Baixe agora o app do Paizinho, Vírgula!

    É grátis! Tenha acesso a todos os meus conteúdos na sua mão e outros conteúdos exclusivos que só sairão no app