Peraltices, Mentiras e Auto-Controle

"É difícil manter o controle no dia-a-dia corrido, com nossos horários cada vez mais apertados e crianças que aprontam justo nas horas que não deveriam. Essa é uma história de como as coisas podem ser boas quando você consegue manter o controle."

Às vezes, mesmo quando você está atrasado e tudo começa a desandar, você consegue manter o controle com os seus filhos em situações desafiadoras. São momentos como esse que nos mostram como é benéfico manter o controle, e essa é uma história bem recente que aconteceu comigo e com o Dante.

Nossa manhã, durante a semana, passa por aquela rotina bem comum a muitas famílias, que consiste basicamente na correria para levar filho para escola e, então, ir para o trabalho.

E como nós vamos de bicicleta para a escola, ainda existem as etapas de preparação para subir na bicicleta, que tornam a rotina ainda mais corrida: coloca capacete, bota cinto, amarra mochila, ih, esqueceu de pegar o brinquedo para levar para a escola! Tira cinto, tira capacete, pega brinquedo, coloca capacete, bota cinto, ufa!

Então, num dia desses em que estávamos atrasados, com capacete colocado e tudo arrumado para subirmos na bicicleta, eu ouço um barulhinho do meu lado. Um barulhinho de cuspe.

Olho para o lado e vejo o Dante pertinho do pote de água da nossa cachorrinha. Senti aquele clima de peraltice no ar. Bateu aquela raiva:

— Dante, você cuspiu na água da Maria Bonita?

Claro, o tom da minha pergunta era bem duro, e era aquela pergunta que você faz já sabendo a resposta, apenas querendo a confissão de um criminoso.

Dante mentiu. Ele disse que não.

A raiva aumentou um pouco mais, e já vieram aqueles bichinhos na cabeça falando coisas do tipo:

— Como assim? Ele não pode mentir! Que absurdo! Isso não pode ficar assim!

Mas, ao mesmo tempo, eu me dei conta de que ele só havia mentido porque teve medo de mim, que perguntei aquilo de maneira tão dura e ameaçadora.

Respirei fundo.

Parei um pouco.

E consegui desmontar a raiva que estava crescendo dentro de mim.

— Filho, você pode falar. Eu sei que você cuspiu na água dela, e isso não é legal.

Ele ficou olhando para mim.

— Você gostaria que eu cuspisse no seu copo de suco de uva?

— Não.

— Então, filho, a Maria não vai gostar de beber água com cuspe. Pega o pote dela, joga a água fora e bota água de novo, tá?

— Tá.

Dante foi com o pote, jogou a água no ralo e encheu o pote com a água da bica. Quando ele trouxe de volta o pote, eu disse novamente sobre como ninguém gosta de beber água com cuspe, e que cuspir não é legal, a não ser que você esteja no banho.

Colocamos a água nova para a nossa cachorrinha, terminamos de arrumar tudo para a bicicleta e fomos para a escola.

Não é nada fácil manter o controle nessas horas, não dar um grito, e muito menos sucumbir às pequenas vozes que ficam na sua cabeça dizendo que você tem que tomar alguma atitude, que precisa agir para o seu filho não se tornar um mentiroso.

Mas se você consegue parar, respirar e manter o controle, os resultados podem ser surpreendentemente positivos.

Vamos lá, um dia de cada vez.

Newsletter

Não perca o melhor do Paizinho no seu email.

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz

Sou Thiago, marido e pai. Também sou outras coisas, mas praticante mesmo, só marido e pai. Meus filhos, Dante e Gael, nasceram em casa e, desde o nascimento do Dante, mergulhamos no ativismo pelo parto e pela criação com apego. Hoje, sou líder do grupo de apoio para criação com apego: API Rio, e também educador parental certificado para disciplina positiva.
X