Amamentação: Perguntas Frequentes – Parte Dois

"Imagine as principais perguntas sobre amamentação, respondidas por gente que sabe do assunto. Em homenagem à Semana Mundial de Aleitamento Materno, este é o Perguntas Frequentes de Amamentação, segunda parte! Com a colaboração importantíssima de Bianca Balassiano Najm e Mariana Amaral."
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

A amamentação deveria ser algo extremamente intuitivo mas, ultimamente, intuição é o que menos se vê por aí. Mas isso não significa que as mulheres esqueceram de amamentar, ou têm algum “defeito”. A questão é que uma enxurrada de conselhos e informações equivocadas, ao longo dos anos, acaba minando a autoconfiança dessas mulheres.

Quando eu tive a ideia de fazer um post com as perguntas mais frequentes sobre amamentação, minha intenção era justamente essa: ajudar a desvendar os principais mitos e ajudar com informações que fizessem as mulheres sentir-se mais seguras.

Então, fiz o convite a duas mulheres que, além de ser profundas entendedoras do assunto, são mulheres que admiro muito: Bianca Balassiano Najm (Posso Amamentar) e Mariana Amaral (Maternices). A elas, tenho uma enorme gratidão por todo o conhecimento compartilhado aqui e a prontidão em ajudar nesse projeto.

Eu gostaria de agradecer também à Bianca (novamente) e à Melissa Weber Mendonça, por terem cedido imagens em que elas amamentam seus filhos. Imagens belas e fortes, que ilustram um projeto igualmente belo e forte.


Compre o meu livro e ganhe uma dedicatória personalizada!

Esta é a segunda parte deste trabalho, mas você pode encontrar a primeira parte aqui: Amamentação: Perguntas Frequentes – Parte Um.

Newsletter

Não perca o melhor do Paizinho no seu email.

Comentários

  • Raquel, a minha esposa fez uma mamoplastia redutora com inclusão de próteses de silicone também. Não foi tão antes de engravidar do nosso filho e esse medo de ter ductos danificados foi o que mais assombrou ela durante todo o início da lactação do nosso primeiro filho. E, hoje, podemos dizer que boa tarde dos problemas que ela teve durante a amamentação foram justamente a falta de segurança sobre a capacidade de ela amamentar. Ela amamentou o Dante até seus 2 anos e meio, e agora com Gael, aos 4 meses, tudo está indo muito bem!

    O que eu gostaria de dizer a você é que você nunca vai saber se houve dano ou não, e que nem durante a amamentação é possível medir a sua produção de leite. Por outro lado, a confiança é um fator importantíssimo na amamentação. Entende como a coisa pode dar errado simplesmente por não acreditar, mesmo que os ductos não estejam danificados?

    O que eu sugiro a você é que procure por uma consultora de amamentação e converse com ela. Faça uma consulta pré-parto, para reduzir os seus medos e aumentar a sua confiança. E, durante os primeiros dias de vida do seu filho, conte também com o apoio de uma consultora, para que ela lhe ajude nos possíveis desafios que, talvez, nem estejam relacionados aos ductos em si.

    Espero ter ajudado!

  • Karine Rodrigues disse:

    Thiago, se você publicar o conteúdo em texto, possibilitará que mães cegas (como eu) que amamentam e desejam amamentar possam ter acesso à postagem. Nossos leitores de tela não reconhecem imagens, só fazem a leitura do que estiver em texto. Acompanho as postagen da sua página e gosto muito, gostaria de ler também esta! Obrigada!

  • Paty Sanchez disse:

    Muito bom…
    parabens!

  • Gratidão pela dica, Thaís! Eu já faço isso através das ferramentas de SEO que tenho dentro do blog 🙂

    Um abraço!

  • Que demais, Thiago! Parabés pela iniciativa! Se me permite uma dica, publica também o conteúdo em texto, mesmo que não divulgue, além desse formato em imagens. Isso vai ajudar e muito o blog em SEO e vai facilitar que mais mães com essas dúvidas encontrem o post ao dar um google! Talvez você até já saiba disso, e tenha cadastrado o texto de alguma forma no código, mas adoro o blog e achei válido dar a dica! Beijos <3

  • Thiago Queiroz

    Thiago Queiroz

    Sou Thiago, marido e pai. Também sou outras coisas, mas praticante mesmo, só marido e pai. Meus filhos, Dante, Gael e Maya, nasceram em casa e, desde o nascimento do Dante, mergulhamos no ativismo pelo parto e pela criação com apego. Hoje, sou líder do grupo de apoio para criação com apego: API Rio, e também educador parental certificado para disciplina positiva.
    >

    Baixe agora o app do Paizinho, Vírgula!

    É grátis! Tenha acesso a todos os meus conteúdos na sua mão e outros conteúdos exclusivos que só sairão no app

    X